quarta-feira, 15 de outubro de 2008

DEPOIS DAQUELA VIAGEM

Aos 16 anos Valeria contraiu AIDS porque,não fez uso de preservativos.
Valeria conta no seu livro autobiográfico que fez uma viagem.Conheceu um jovem e tiveram um romance.
E apenas aos 18 anos ficou confirmado que era portadora do vírus.
A doença mudou radicalmente sua vida,de forma simples e bem humorada até,a autora fala de assuntos relativo aos jovens.
Como ela reavaliou tudo, os programas e as farras com os amigos. (a turma)
As dúvidas próprias da idade,como sexualidade,namoro e a expectativa e ansiedade que gera o vestibular.
Adolescente de classe média,ela fala do preconceito da sociedade e de pessoas mais próximas.
Com coragem e determinada a seguir em frente.Aprende a conviver com sua nova e dura realidade.
Na década de oitenta não havia informação a respeito do vírus HIV,nem medicamentos que aliviassem os sintomas da doença.
A mídia alardeava que o HIV era doença de homossexuais,os hetero não contraiam a doença.
Longe de se deixar abater,a autora fala das boas descobertas, da valorização da vida ,do sorriso e do amor.
Faz um depoimento verdadeiro, triste as vezes engraçado,um alerta geral.
O vírus continua a fazer vítimas,sem escolher idade nem sexo.
Não vamos ser negligentes,cuidemos de fazer o uso da "camisinha"
Valeria é guerreira,foi a luta! Estudou jornalismo e escolheu Viver!

Depois daquela viagem,livro lançado em 1999 aos 23 anos, por Valeria Piassa Polizzi

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Resenha do livro;Depois daquela viagém

autora conta como sua vida mudou depois que ela descobriu que era portadora do vírus HIV.Valeria em sua alto biografia, conta de forma bem humorada e bem jovial como aos 16 anos ela foi contaminada pela doença por não usar preservativo.E foi numa viagem que ela conheceu um garoto e tiveram um lindo romance,em um cruzeiro de férias.Uma adolescente de classe média, que descobre com 18 anos que está com a doença.Nesta fase da vida que a grande dúvida era escolher qual programa fazer com a "turma" se "ficava" ou namorava. A preparação para o vestibular os planos de ser artista, o despertar para a vida de uma forma geral.A autora faz uma profunda reflexão sobre sua vida,antes e depois daquela viagem.E escreve contando tudo,publica e nos presenteia com um alerta,que vale para todas as idades e tempos,não devemos ser negligente,o vírus não perdoa.Valeria corajosamente relata as dificuldades que enfrentou com o preconceito da sociedade.Em 1986 pouco se sabia sobre a doença, como evitar, não havia tratamento adequado.Valeria vai a luta!Foi estudar Jornalismo,não desistiu dos seus sonhos.E deixou para nós um exemplo de coragem e determinação,escolheu viver!

AUTORA; VALERIA PIASSA POLIZZI-2003

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Amadeus-O filme


Visualizar:
Amadeus, filme de 1984,Dirigido por Milos Forman ,
e com roteiro de Peter Shaffer.
Com:F. Murray Abraham-Antonio Salieri
Tom Hulce-Wolfgang Amadeus Mozart
Elizabeth Berridge-Constanze Mozart
O filme começa com Saliere confessando a um padre, depois de um suicídio fracassado que ele havia matado Mozart.
Conta sobre o conhecimento dos dois,como passou a odiar Amadeus.
É Um filme sobre a vida e obra do grande compositor.Com ênfase no relacionamento do génio, com um compositor menor que antes do surgimento de Mozart,era o preferido da Corte, Antonio Salieri.
O filme mostra a inveja como personagem coadjuvante.Saliere se esconde atrás da cortina do camarote do teatro,atrás da mesa para ver e ouvir o que ele considerava ser do Divino!
Seus olhos hipnotizados,fixos em Mozart retorcendo as mãos na boca de inveja .Misturando ódio e admiração pelo compositor pianista e sua genialidade.
Uma das cenas forte do filme.Amadeus se casa tem filhos e leva uma vida de jovem irreverente,farrista.
Bebendo muito e passando noites em festas,se mostra um homen fraco e medroso.
Permeado pelas composições fabulosas do génio da música clássica.Amadeus,o filme é uma obra de arte!Dirigida pelo menos, más também genial Milos Forman.Presença obrigatória em qualquer lista dos melhores filmes de todos os tempos!
Constatamos que a inveja mata:O homem. A obra,a arte, felizmente é imortal!