sexta-feira, 23 de abril de 2010

Resenha feita a duas mãos do livro Mulheres que Correm com os Lobos

Lua & Nora
MULHERES Q CORREM C LOBOS - Clarissa Pinkola Estés

Gente...hoje venho aqui mostrar p vocês um trabalho, feita em duas mãos...Eu e Nora juntas, nos embrenhamos nesse experimento, e eu confesso q adorei....espero q esse seja o primeiro dos muitos que virão. Lembrando...Nora vive e ama a natureza...as flores e eu só admiro as de plástico..ahahaha O q faz dessa nossa diversidade, nosso maior desafio. Nossas falas vão se misturando a medida dos parágrafos, mas tornando-se uma única fala. Achei lindooooo!!!! Espero q gostem...Segundo essa americana psicóloga fantástica, a mulher vem sendo domesticada há milénios. Ela tenta, usando vários caminhos e milhões de argumentos, encontrar a verdadeira essência da alma feminina. E olha que é difícil eh?O livro é um apanhado de mitos e tradições relativos às mulheres, onde a autora analisa de forma microscópica o universo feminino, sobre o ponto de vista da psicologia, do emocional, espiritual ecomo todo esse fantástico universo feminino, foi esquecido pela própria mulher, revestida da modernidade, educação e domesticação para servir. Não podemos deixar de sentir uma fala feminista nessas colocações da autora. Equipara deliciosamente pelos milénios, a alma feminina ao lobo...com sua coragem, sua natureza selvagem, sensível, intuitivo, orgulhoso, dados a uma percepção aguçada, numa determinação feroz. A comparação com lobos, foi a arma literária da autora, p descrever o lado selvagem e livre da mulher, por ter sua mente aguçada e intuitiva, enterrada por séculos e séculos pela sociedade, em repressões, limitações e violência. Motivo pelo qual, muitas tiveram seu fim nas fogueiras da Inquisição, acusadas de bruxaria. A autora compara a mulher ao lobo, q corre livre pelas savanas e prados, com seu instinto de sobrevivência, e toda intuição que guia uma fêmea, no ato de proteger e cuidar de suas crias e parceiros. Mas com a racionalidade de renúncia feroz, no momento que os vê preparados p a vida independente. Respeitando assim, a liberdade de quem ama.
Para analisar o lado instintivo e intuitivo da mulher, falar da maternidade perfeita e de c é necessário q se desprenda desse colo, cortando de vez o cordão umbilical p seguir, La Loba, a mulher q sabe e vive dentro de nós, aquela selvagem que se perde contato por conveniência...é exigida, surgindo para nos salvar até de nós mesma.Reflete de forma ímpar sobre a raiva feminina, tentando com argumentos bem pertinentes, nos envolver em sua teoria de q a raiva tem sua utilidade se não for reprimida, e for administrada c o bom senso do perdão. Termina seu raciocínio, concordando q o perdão não é tão simples, é trabalhoso e requer muita paciência e obstinação. E normalmente não o conseguimos na sua totalidade, por ser humanamente impossível e sobrenatural p o humano, exceto Ghandi. ahaha (aparte meuuu) Bem...em outras palavras...dar a cara para bater de novo. Perdão como cura. Será?Além desse mergulho profundo na verdadeira essência feminina, a autora nos brinda com um circular nos contos de fadas e mitos. Usando e abusando dos mitos, como O Barba Azul, A Bela Adormecida, contada de maneira diferente pelo antigo povo da Romênia. Um livro pra ler, reler, treler e manter ao alcance de nossos olhos e ouvidos, pois é uma obra que canta e conta histórias...a nossa história e a de todas as mulheres do mundo. Lindo!!!E p terminar essa resenha em parceria c minha querida, doce e pacifica Nora...um trecho q acredito q envolva nossas essências latentes...numa só fala. “O deserto é um lugar em q a vida se apresenta muito condensada. As raízes das plantas se agarram à última gota d'água, e as flores armazenam umidade abrindo apenas de manhã cedo e ao final da tarde. A vida no deserto é pequena, porém brilhante, e quase tudo o q acontece tem lugar no subsolo. Essa descrição é semelhante à vida de muitas mulheres. Muitas de nós vivem vidas desérticas: ínfimas na superfície e imensas por baixo.” (Clarissa Pinkola Estes In: Mulheres que correm com os lobos) Beijos e valeuuuuu por esses momentos de prazer, Nora querida!!!

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Hoje é dia do Aniversário do Lola! Viva!!!!

Hoje é um dia especial, hoje é o dia do aniversário do meu marido.
Marido só não, do meu amigo, meu companheiro de todas as horas.
Meu amante querido!
Hoje, eu quero um dia lindo de sol, ou de chuva, o dia vai ser maravilhoso!
Vamos comemorar o dia que nasceu o meu parceiro de chuva , de sol, de tormentas e prazeres.
Hoje, estaremos brindando a alegria de estarmos juntos, felizes e enamorados.