segunda-feira, 17 de março de 2008

AOS 4...

Hoje sempre que lembro disso dou muita risada.
Na época foi de um sofrimento inenarrável!
Eu calada sem poder me abrir,porque a coisa era feia e me paralisava
de horror.
Minha avó vinha sempre em minha casa em Varzelãdia.
Passava uma temporada super bacana,eu adorava vó Salvina.
Aos quatro anos comecei a observar que minha mãe,dona Joaninha
chamava ela de mãe.
E ela era mãe do meu pai seu Nestor.
Fiquei confusa,a primeira vez pensei
que foi por brincadeira,ou ate um carinho.
Mas era hábito mesmo,meu pai e minha mãe chamava ela de mãe.
Aquilo me trouxe um grande,enorme problema.
Meu Deus do céu!
Eles eram irmaõs!
Viviam juntos,tinham nove filhos,irmaõs!
Eu sentia um mal estar,uma coisa terrivel!
Não podia mais sair na rua,todos sabiam.
Que vergonha,eu era a ultima a saber, tinha certeza.
Meus vizinhos,amigos o que não diriam ou pensavam de minha família.
Eu queria morrer!
Como eles podiam?
Ficava só pensando naquilo,com quem falar?
Nem de brincadeira eu ousava tocar em assunto de tanta vergonha.
Ficava pelos cantos da casa,no quintal matutando.
Eu amava muito meus pais.
Papai era minha grande paixão!
Virou uma terrível decepção.
O que fazer?
Aonde esconder?
Podia fugir da cidade,nunca mais aparecer.
E a coragem? Aonde andava que não me dava força.
Que vida mais sofrida e sem saída era a minha.
Já estava com quase seis anos,olha o tempo que sofri calada.
Um dia cansada, exausta decidi que não aguentava mais,
perguntei vó Salvina,com a voz tremula quase um sussurro.
Vovó! meus pais são irmãos?
Ela começou a rir,e me acalmou.
Pegou minhas mãos juntas,sentou comigo no tronco de uma mangueira.
E me contou a sua historia.
Vó seus dois maridos, e 21 filhos.
Te conto essa depois.


3 comentários:

Sandoval disse...

Parabéns, Nora. Essa narrativa nos transporta à nossa própria infância, pela suavidade e força com que você a faz; quem sabe até resgatando acontecimentos de infância que ficaram represados em nosso inconsciente por medo ou tabu, e que sua forma tão natural de narrar o seu tenha podido desmistificar...?

Nestor disse...

Nora-Dudu,
seus casos são deliciosos de ler e ouvir. Veja só! Voce tem realmente talento pra escrita. Parabéns e um grande beijo do seu fã número um.

Nestor

noranei disse...

Eu gosto muito dos comentarios que fazem no meu Blog.
Pode ficar a vontade,criticas positivas,que me ajudem e me animem a escrever.
Também são bem vindas!
Obrigada!